Arquivo do mês: julho 2010

Memórias em crônicas

Já estou há quase dois anos no Brasil, país em que, apesar de algumas dificuldades, adoro morar e, de vez em quando, aquela nostalgia de quem morou em outro país aparece.

Claudia do Brasil com z chamou esse sentimento, muito pertinentemente, de síndrome  do ex-namorado e eu continuo a analogia  dizendo que, para mim, Londres foi o ex-namorado bom. Aquele em que eu terminei a relação, mas, apesar de alguns momentos ruins, terminamos o relacionamento de forma pacifica 80% das memórias consistem em boas recordações e, vez ou outra, morro de vontade de voltar para saber como estão as coisas.

Paris, foi aquele relacionamento um pouco conturbado. Ele me batia, acolhia, e batia de novo, mas eu ainda insistia em ficar lá para ver as coisas boas, até o dia que, depois de tomar porradas sem sentido, comecei a ficar rabugenta com a cidade também. Tenho saudade sim dos milhares de museus cheios de obras de arte que nunca tive oportunidade de ver no Brasil, do queijo camembert a preço de banana (no Brasil) e da facilidade de estudo (universitário), mas , quando penso em Paris, minha memória é preenchida com 80% de situações desagradáveis.

Costumo contar essas situações em mesas de bar e as pessoas não acreditam que isso ou aquilo aconteceu em Paris, justo Paris, a cidade do romance e da luz. Portanto pensei em criar um conjunto de crônicas com esses casos (acredito que terá algumas de São Paulo e Londres também). Não prometo frequência, mas acho que é uma boa oportunidade para voltar a escrever.

A primeira delas  publiquei no Brasil com Z e é sobre minha experiência com os ratinhos londrinos.
Divirta-se.