Arquivo do mês: janeiro 2016

Um pôr do sol

É final de tarde e pela fresta da janela entra um pouco da luz do sol que se despede do dia, deixando suas mãozinhas alaranjadas.

Eu vigio seu sono, depois de dias e noites de cuidados intensos, higiene, alimentação, desenvolvimento, cansaço e energias recarregadas com o encantamento dos seus sorrisos.

Penso na mulher que fui, em toda minha trajetória até aqui. Em toda a preparação que tive para me tornar independente e, agora, os laços com um novo ser, tão intrínsecos, que os nós são invisíveis a olho nu.

Penso na melancolia e nas incertezas que a maternidade trouxe e neles surge o seu olhar  iluminando as sombras do puerpério. A morte e o renascimento.

Penso na sua trajetória também, o seu prazer ao olhar coisas novas, o quanto gosta de sentir o mundo, seus dedos percorrendo as plantas, os sabores novos. E que responsabilidade a minha ser sua porta inicial para o mundo.

Meus olhos vão ficando pesados com o cansaço e vou fotografando esse momento para que ele fique para sempre na memória. Você não vai lembrar, mas saiba que estou reservando todas essas fotografias em um lugar muito especial que irei recorrer quando me sentir triste.

Com meus olhos fechados ao lado dos seus, espero que nossos sonhos se cruzem agora e muitas vezes mais, iluminados por esse entardecer eterno.

 

 

 

 

Anúncios